Beto Soul

O terceiro e mais recente trabalho do cantor e compositor Beto Soul convida
para um mergulho profundo e direto para “O lugar que não se vê”. É a busca,
dentro de si, por novos caminhos e respostas.
O EP revela, pela ótica do compositor, algumas situações que permeiam nosso
cotidiano, como o medo, a indiferença ou a cegueira diante da difícil realidade
que encaramos diariamente. De cara com a miséria estampada em alguma
esquina das grandes cidades ou a latente solidão vivida por muitos, por vezes
disfarçada em alguma companhia, qual sentimento cada um de nós saca de
dentro de si para seguir em frente?
“Ficar sem você” e “Linha cruzada”; são canções que tratam do amor.
“Entregue” aborda o medo. A dura realidade de São Paulo vem na canção “A
cidade das esquinas pouco iluminadas”. A viagem para dentro de si fica por
conta da canção que dá nome ao EP, “O lugar que não se vê”. A única
parceria é a dançante e lúdica “Veja bem”, composta com o guitarrista Fabio
Negroni.
Todas as canções, de alguma forma, tentam mostrar que, na verdade,
precisamos estar sempre atentos aos sinais. Nossa verdade pode estar bem
mais perto do que imaginamos.
“O lugar que não se vê” é a primeira parte desse projeto. Aqui Beto Soul
mergulha em si e sinaliza o desejo de uma nova direção estética e sonora em
suas canções para os próximos trabalhos, trazendo um pouco mais de sua
essência e raízes da música popular brasileira.
“Palavras e sentidos”, a segunda parte desse projeto, tem previsão de ser
gravada até o final de 2018. Durante a atual turnê, alguma dessas canções
será divulgada.
O EP foi gravado nos estúdios “Time e Pró” em São Paulo, e contou com a
produção musical de Ricardo Parronchi em quatro das seis canções.
Participam: Ricardo Parronchi (Produção e Baixo), Fabio Negroni (Guitarra),
David Rangel (Baixo), Binho Ortega (Teclados), Fabio Leandro (Teclados), Fê
Pereira (Bateria), Marcus Simon (Bateria), Valter Gomes (Guitarra) e Thiago
Pity (Backing vocal), Silvio Pinto (estúdio Time) e Cássio Martin (Pro estúdio),
engenheiros técnicos. As mixagens ficam por conta de Raul Barroso.
A fotografia tem a assinatura do fotógrafo Helson Gomes e a arte quem assina
é o designer, Pedro Bopp.

  • 01

    O lugar que não se vê

    O lugar que não se vê

    Não vou voltar a fazer o que um dia fiz
    Nem vou dizer o que é melhor para você ser feliz
    Que existe um lugar perdido dentro de você
    Pra se encontrar ou se perder

    Ao meu redor e o que há no céu
    Gotas de chuva que vem molhar
    O lugar que não se vê
    Guardado em mim dentro de você

    Vou até lá e levarei comigo
    A vida inteira no olhar e sua voz em meu ouvido
    E não importa o que irão falar
    A magia do encontro e das canções vem mostrar o sentido

    Ao meu redor e o que há no céu
    Gotas de chuva que vem molhar
    O lugar que não se vê guardado em mim dentro de você
    O lugar que não se vê guardado em mim dentro de você
    Dentro de você, dentro de você, dentro de você

  • 02

    Linha cruzada

    Linha cruzada

    O meu pedido em forma de canção
    Guardado em mim
    Pra te levar daqui pra outro lugar
    Que eu sempre quis
    Linha cruzada no coração
    E eu sem você
    Um camicase com os pés no chão
    Voar pra que

    Contemplar o sol na manhã ao acordar
    Pra lhe dizer
    Um tempo só no olhar sinais de solidão
    Pra refazer

    Novo sentido uma nova direção
    O amor o amor
    O teu sorriso estende a mão
    E acalma a dor e acalma toda dor
    Quero seguir com você do meu lado

  • 03

    Entregue

    Entregue

    De onde vem todo medo não entendo
    Somente imagino
    É pelo espelho que me vejo não sinto te desejo
    Não creio no maldito
    São as cores do universo
    Que pintam nossos versos
    Tambores latinos
    Soltos em algum lugar presos nesse ar
    Confesso e me entrego ao meu destino confesso e me entrego

    O amanhã não demora é tão perto lá fora
    Que o certo se torna improviso
    O querer de uma criança o poder de uma bela lembrança
    Segredo feito contigo
    São as cores do universo
    Que pintam nossos versos
    Tambores latinos
    Soltos em algum lugar presos nesse ar
    Confesso e me entrego ao meu destino confesso e me entrego

    Se eu disser que não irão perceber
    Se eu me jogar nesse engano
    Não terei mais nada a fazer
    A não ser me entregar

  • 04

    Ficar sem você

    Ficar sem você

    Não vou ficar sem você
    Não quero mais entender
    Por que o céu vem mostrar
    O tempo de agora

    Todo lugar que passei
    Tantos retratos de mim
    O trem em outra direção
    Vai de novo partir

    Castelos e sonhos num grande jardim
    Eternidades ao nosso redor
    De tudo que eu poderia sentir
    O melhor é saber o melhor é saber

    Nessa cidade tão longe
    Sentimentos transbordam em mim
    Reconhecer o caminho distante
    É sinal do que está por vir

    Castelos e sonhos num grande jardim
    Eternidades ao nosso redor
    De tudo que eu poderia sentir
    O melhor é saber que te amo

  • 05

    A cidade das esquinas pouco iluminadas

    A cidade das esquinas pouco iluminadas

    Na cidade sem visão tento seguir em paz
    Passado pelo chão tento seguir em paz
    Realidade se divide entre o som e a solidão
    Pensamento insinua minha vida em suas mãos
    O tempo acelera a dose entorpece
    O céu quem orienta é mais um dia que se vai

    Mas eu ainda tenho voz
    E posso mostrar o que sinto
    Na cidade das esquinas pouco iluminadas

    Tento mostrar aos olhos o que não querem ver
    o que não querem ver
    Não é nenhum acaso que me leva até você
    Miséria nas esquinas um sopro de ilusão
    O silêncio aproxima a voz do coração
    O sentido paralisa a verdade vem depois
    Dilatando a imprevisível distância entre nós dois

    Mas eu ainda tenho voz e vou lhe mostrar o que sinto
    Na cidade das esquinas pouco iluminadas
    Mas eu ainda tenho voz e vou lhe mostrar o que sinto
    Na cidade
    Mas eu ainda tenho voz e posso mostrar o que sinto
    Na cidade das esquinas pouco iluminadas
    Mas eu ainda tenho voz e posso mostrar o que sinto
    Na cidade das esquinas pouco iluminadas

  • 06

    Veja bem

    Veja bem

    Veja bem você sabe tudo que eu tenho
    Largo tudo pra deixar rolar
    Só que isso eu sei não faz o menor sentido
    Se você não sabe o que há

    Tudo bem eu sei que nada é pra sempre
    E também pode acabar
    Com você o meu mundo ganha um novo brilho
    Sem você ele não há

    Ficar pensando em vão e não querer ficar
    Sem querer voltar para mim
    A vida entre nós faz sentido
    Ficar pensando em vão e não querer ficar
    Sem querer voltar para mim
    A vida entre nós
    Por você vou até o fim

    Veja bem ficar não é um bom caminho
    Pra quem quer viver e se encontrar
    Se a estrada é o que liga a vida a um novo destino
    Então sigamos juntos pra lá

    Tudo bem nada é pra sempre
    E você pode se soltar
    Deixo o tempo lhe mostrar o que é real e absurdo
    Na ilusão de outro olhar

    Ficar pensando em vão e não querer ficar
    Sem querer voltar para mim
    A vida entre nós faz sentido
    Ficar pensando em vão e não querer ficar
    Sem querer voltar para mim
    A vida entre nós faz sentido

 

Deezer
Spotify
Facebook
Facebook
YouTube
Instagram